CENTRO

Fluxo

Estúdio de jornalismo

Abrir Menu

Mudança é o fio condutor do Fluxo, um estúdio de jornalismo dedicado a pensar em novos modelos de financiamento, produção e distribuição de conteúdo. O projeto, tocado pelo jornalista Bruno Torturra, surgiu depois das Marchas de Junho, quando o coletivo Mídia Ninja subverteu a transmissão das manifestações ao gravar e transmitir os protestos de forma simultânea pela internet. Torturra participou do processo e saiu inspirado.

“O jornalismo ainda está preso num modelo meio encastelado, que observa o mundo e emite conteúdo a partir de uma torre, que não se conecta com o pensamento cultural: com vida social, urbanismo, novas estéticas, ativismo”, diz Torturra. “Minha ideia é conectar a atividade jornalística a esse pensamento cultural. E tentar criar um novo modelo de negócio e produção, fora da lógica comercial.”

O Fluxo é parte da mudança que ocorre no centro de São Paulo, muitas vezes descrita como nociva. Ativistas apontam que quando um grupo abonado ocupa uma região em massa, preços e aluguéis tendem a subir, expulsando a população original. "Acho injusto falar que isso está acontecendo no centro", opina Torturra. "Trazer a economia criativa é aumentar a diversidade da região com coisas que não existiam aqui antes."

Fluxo Rua Capitão Salomão, 26, República -23º 32’ 34.53” -46º 38’ 12.04”

Tivemos sorte porque achamos um prédio no território que a gente queria, o Anhangabaú. Meu plano inicial era montar a sede da Mídia Ninja, mas por uma série de motivos me distanciei desse projeto e esse lugar virou a sede do Fluxo. Bruno Torturra


Antiga vista do Anhangabaú a partir do Fluxo.

Antiga vista do Anhangabaú a partir do Fluxo.

O Fluxo é uma tentativa de descobrir como viabilizar a produção jornalística nesse mercado instável. Quero misturar ideias da mídia tradicional, para que nosso conteúdo seja consistente, com inovações de modelo e distribuição que aprendi na Mídia Ninja. Bruno Torturra


Detalhes da área de trabalho do jornalista Bruno Torturra.

Detalhes da área de trabalho do jornalista Bruno Torturra.

Esse é o território mais interessante, estratégico e menosprezado de São Paulo, a gema da cidade do ponto de vista do urbanismo. Principalmente o Anhangabaú, que possui o maior espaço livre de carros da cidade, mas mesmo assim é fácil de chegar. Bruno Torturra


Mapas de São Paulo e do Brasil.

Mapas de São Paulo e do Brasil.

O movimento em direção ao centro é cultural e geracional, não apenas econômico. A nossa geração está olhando para a cidade com mais atenção. E quando você começa a fazer isso, o centro salta à vista como o lugar a ser ocupado. Bruno Torturra


Pôster de um evento cultural organizado pelo Eduqativo, vizinho de prédio do Fluxo.

Pôster de um evento cultural organizado pelo Eduqativo, vizinho de prédio do Fluxo.

O efeito negativo desse movimento é a gentrificação. Esse processo acontece em outros bairros, é perigoso e precisa ser controlado. Mas acho injusto falar que esteja acontecendo no centro. Trazer a economia criativa é aumentar a diversidade da região com coisas que não existiam aqui antes. Bruno Torturra


O Fluxo fica no segundo andar do Farol, um prédio-coletivo no Anhangabaú.

O Fluxo fica no segundo andar do Farol, um prédio-coletivo no Anhangabaú.