CENTRO

Lâmina

Estúdio-apartamento-galeria

Abrir Menu

Mistura de estúdio, apartamento e galeria, o Lâmina promove encontros entre artistas, músicos, poetas e cineastas. A ideia do projeto surgiu em outra região, numa república criativa em Perdizes. Mas devido a problemas com vizinhos, os artista acabaram no centro, num casarão dos anos 1930 localizado na icônica avenida São João.

Rodrigo de Boer, da banda Vaudeville, foi o primeiro a ocupar o lugar, seguido por Luciano CortaRuas, que chegou decidido a recriar algo nos moldes da república de Perdizes. Hoje, cerca de dez pessoas moram no prédio, incluindo membros da banda Mustache e os Apaches.

Desde 2011, quando foi fundado, o Lâmina abrigou onze exposições, além de residências artísticas em que participantes são desafiados a criar projetos inspirados pelo centro de São Paulo. “Agora, nossa luta é contra o aumento de aluguel, fenômeno que está acontecendo ferozmente”, diz Luciano.

Lâmina Avenida São João, 108, República -23º 32’ 39.13” -46º 38’ 13.00”

Houve um conflito no começo. Como trouxemos muitos artistas e muito público, os proprietários ficaram com medo e tiraram a nossa chave. Não podíamos mais usar o imóvel durante a noite, só de dia. Luciano CortaRuas


Detalhes do espaço interno do Lâmina.

Detalhes do espaço interno do Lâmina.

Não tinha nada aqui: só sujeira e cocô de pomba. Conseguimos reconstruir e agora mantemos de forma independente. Também começamos a fazer locação para ensaios de moda e publicidade. Tudo para poder pagar o aluguel. Luciano CortaRuas

Interior e arredores do prédio, na República.

Interior e arredores do prédio, na República.

No final das contas, esse espaço é muito resultado das exposições e dos artistas que passaram por aqui. Eu não queria algo que fosse apenas uma galeria, essencialmente comercial, mas queria ter um espaço de encontro e criação. Luciano CortaRuas


Vista do centro e materiais usados em projetos.

Vista do centro e materiais usados em projetos.

Já são alguns anos no Centro. Nesse tempo, fizemos conexões com outros coletivos, organizamos vários eventos, inclusive o Anhangabaú da Felicidade, que reuniu 30 mil pessoas com programação de arte, música, dança e performance. Luciano CortaRuas

Arredores e interior do espaço cultural.

Arredores e interior do espaço cultural.